julho 18, 2012

Sobre Eleições e Esperanças.

Toda época de eleição é a mesma coisa: sempre aparece um político de um partido radicalóide e anão, com um histórico de declarações polêmicas, tão polêmicas quanto vazias se analisadas a fundo. Esse político de fala histriônica que protesta contra o que todo mundo é contra: corrupção, incompetência, favorecimento e apadrinhamento, aponta os erros que todo mundo vê mas não aponta nenhuma solução, nem viável nem mirabolante. Mas a população anda tão carente em relação à política e aos políticos, principalmente, que qualquer uma que fale mais alto as indignações de praxe vira um novo herói.
As eleições do Rio, esse ano, já elegeram seu novo herói: Marcelo Freixo. Não vou discutir suas qualidades ou defeitos, quero focar no geral, não no exemplo.
Se ele for eleito, será outra decepção, assim como foi Collor e Lula, que carregara as esperanças de toda uma nação e não fizeram nada mais que o mínimo para garantir a força de seus partidos, Collor nem isso fez, foi cassado mas voltou, e voltou nos braços do povo e hoje é aliado daqueles que o cassaram.
E vai ser sempre assim, eleição após eleição. Salvador da pátria após salvador da pátria, uma decepção a cada quatro, a cada dois anos. Não vai mudar, os políticos nada mais são que um close do povo brasileiro, um povo que acha bonito aplicar a Lei do Gérson (levar vantagem em tudo) no dia a dia, que anda com o carro irregular já contando com a corruptibilidade do policial que faz a fiscalização, do pai que vai reclamar quando o professor disciplina o filho e zera a sua prova por cola, que vai pedir uma segunda chance, um jeitinho.
Só quando pararmos de esperar pelo messias político, pelo salvador da pátria e começarmos a rever nossas próprias atitudes, nosso grau de honestidade e de tolerância com a desonestidade, pararmos de achar que honestidade é virtude, quando é obrigação a situação vai começar a melhorar, até lá mais esperança após esperança vai se transformar em decepção.
Espero não poder repetir esse texto, palavra por palavra, ideia por ideia, nas próximas eleições.

2 Comments:

At 10:12 PM, julho 18, 2012, Blogger Eduardo Lima said...

Caro Gustavo,

O grande problema das eleições está muito próximo do que você analisou, porém você se esquece de um detalhe importante: Eleição se faz com voto e quem vota é o povo, e o povo, procura sempre UM MIDAS, alguém que seja capaz de salvar a pátria, porém esquecem se as vezes de comparar a "persona" com a proposta partidária.
Um exemplo clássico é o Deputado Marcelo Freixo, eu votarei nele (confesso) porém, não é o candidato ideal para o PSOL a prefeito, pois a especialidade do Freixo é segurança pública e a possibilidade dele atuar com isso ou mesmo discutir isso com mais profundidade nesse campanha eleitoral é pequena, até pq. segurança não é atribuição das prefeituras (mesmo que alguns prefeitos malucos tenham criado guardas civis ou guardas municipais).
De qualquer forma, mesmo que não seja sua área de atuação enquanto educador, orientar seu aluno a pensar criticamente, afinal você é um homem de exatas e não de humanas, ainda sim, acho que todos os momentos que você puder, incentive esse tipo de discussão, de que não é nos homens que devemos votar e sim nas propostas e na ideologia partidária.

PARABÉNS PELO TEXTO.

 
At 12:00 PM, julho 24, 2012, Blogger Marcos de Oliveira said...

O pior é que estes candidatos nao se sentem na obrigação de apontar soluções. Sem isto, para mim nao faz sentido ter oposição. Reclamar por reclamar isso eu já faço, e pelo que eu me lembre, ninguem nunca me pagou por isto!

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home